Mudanças na morfologia dos rios e sua implicações na decomposição de detritos de origem alóctone ao longo de uma bacia hidrográfica: uma visão em diferentes escalas. - PELD
Aluno - Renan de Souza Rezende
Orientador - José Francisco Gonçalves Junior
Uniersidade de Brasília

 

Os sistemas terrestres e aquáticos interagem fortemente ao longo da bacia hidrográfica. Diante disso, os impactos em que um destes sistemas esteja sujeito afetará o outro, não apenas de forma pontual, mas a grandes distâncias de sua origem e por um longo período. Para melhor entender estes efeitos são necessários estudos em escala de bacia hidrográfica. Os ecossistemas lóticos modificam-se naturalmente ao longo do gradiente longitudinal, modificando dão fluxo de energia e matéria, cliclagem de nutrientes, estrutura das comunidades. Em função do sombreamento da vegetação ripária, os processos ecológicos são dependentes do material de origem alóctone, principalmente, nos trechos de cabeceiria. Diante disso, a decomposição de detritos vegetais é um processo ecológico chave para o funcionamento dos ecossistemas. A avaliação da decomposição possibilita uma visão integrada do sistema, melhorando a avaliação dos impactos locais e/ou sobre toda a bacia. Esta abordagem permite avaliar a integridade ecológica em grande escala e entender melhor a ação antrópica dentro do ecossistema. O objetivo será avaliar o efeito da variabilidade da estrutura física e química do meio sobre as comunidades decompositoras e o coeficiente de decomposição dos detritos, buscando qual o principal fator controlador da decomposição destes detritos ao longo da bacia hidrográfica. Para isso, será necessário acompanhar a perda de massa dos detritos alocados em “litter bags” ao por 90 dias em rios de diferentes ordens ao longo da bacia. Serão realizadas analises dos parâmetros físico e químicos da água (pH, condutividade, oxigênio dissolvido, alcalinidade, nitrogênio e fósforo) e detrito (fenóis, nitrogênio, fósforo e dureza), bem como analise da riqueza, densidade e biomassa das comunidades decompositoras que colonizaram o detrito (bactérias, fungos e invertebrados aquáticos). Apesar da importância deste processo para o conhecimento do funcionamento e metabolismos destes ecossistemas, não foi encontrado nenhum estudo desta natureza no Distrito Federal. Esta falta de informação dificulta a gestão destes ecossistemas, pois o seu principal processo de manutenção da biodiversidade aquática é desconhecido. As metodologias utilizadas neste projeto são difundidas e padronizadas em todo o mundo através do livro “Graça et al. (2005) Methods to study litter decomposition: a practical guide”. Espera-se que os resultados obtidos contribuam no conhecimento do funcionamento das Bacias Hidrográficas do Distrito Federal, que estão sob forte influência antrópica e possa nortear os esforços de preservação e manutenção dos recursos hídricos. Além disso, permitir caracterizar este processo frente à literatura internacional e os raros estudos realizados no Brasil e em regiões tropicais, contribuindo para a gestão e conservação brasileira.