Dinâmica populacional e história de vida de duas espécies invasoras de drosophilidae (insecta, dipters)
Aluno - Jonas da Silva Doge

Orientador - Rosana Tidon
Universidade de Brasília

 

O isolamento geográfico entre as biotas tem sido cada vez mais violado pelo transporte intencional ou acidental de espécies pelo homem. Parte das espécies transportadas torna-se abundante e amplamente distribuída nas áreas em que foram introduzidas. Estas espécies, denominadas invasoras, geram mudanças ecológicas e evolutivas e vem sendo apontadas como a segunda maior causa de extinções no planeta, além de causarem prejuízos anuais de US$ 1,4 trilhão em todo o mundo. Por estes motivos, a busca de mecanismos que impeçam a introdução de espécies, ou que controlem suas populações estabelecidas, tem sido bastante incentivada (CDB/1992). Um dos mecanismos propostos mais discutidos é a elaboração de esquemas preditivos, que se utilizam de características da biologia – como fatores de regulação populacional (climáticos e de interações bióticas), capacidade reprodutiva e taxa de mortalidade – e histórico de invasão para identificar espécies com introdução potencialmente danosa. Os drosofilídeos são interessantes modelos para a Biologia da Invasão devido ao grande acúmulo de informações sobre estes organismos nas diversas áreas da Biologia e à alta capacidade de resposta ao ambiente apresentada por estas moscas. Das 304 espécies de Drosophilidae registradas no Brasil, 13 são exóticas, mas apenas Drosophila malerkotliana, D. simulans e Zaprionus indianus podem ser consideradas invasoras. No Cerrado, as duas últimas são as invasoras mais preocupantes já que são muito abundantes e parecem competir com outros drosofilídeos. Além disso, Z. indianus vem trazendo prejuízos econômicos severos em fruticulturas no Brasil. Neste contexto, o objetivo deste projeto é avaliar a influência de fatores bióticos (traços da história de vida) e abióticos (pluviosidade) sobre a abundância e estratégia colonizadora de Z. indianus e D. simulans. Para tanto, coletas mensais (março/2010 a fevereiro/2012) de drosofilídeos adultos vêm sendo realizadas em três áreas de cerrado sensu stricto da Reserva Ecológica do IBGE (RECOR). Alterações na densaidade de adultos de Z. indianus e D. simulans durante o estudo serão avaliadas em função das variações na (1) pluviosidade, (2) capacidade reprodutiva, (3) tamanho corporal (que afeta a sobrevivência e a fecundidade), (4) taxa de sobrevivência dos estádios imaturos e (5) densidade larval em substratos de criação. Adicionalmente, serão avaliadas as inter-relações entre as variáveis 1 a 5. Tais análises serão utilizadas para entender as estratégias de colonização e invasão destas espécies e poderão permitir o estabelecimento de planos de controle das populações. Adicionalmente, a observação de padrões poderá contribuir em importantes discussões da Biologia da Invasão, como a escolha de características relevantes em esquemas preditivos de espécies invasoras.