Leveduras associadas às plantas do cerrado: ocorrência e diversidade
Coordenador - Helson Mario Martins do Vale
Universidade de Brasília

A flora e a fauna do Cerrado apresentam uma alta riqueza de espécies. A flora do Cerrado é considerada a mais rica de todas as savanas tropicais, estimada em 11600 espécies de plantas vasculares, sendo que quarenta e quatro por cento das espécies de plantas lenhosas são endêmicas. Estudos sobre vegetação do Distrito Federal demonstraram também a grande riqueza e diversidade florística das reservas naturais. O Cerrado, segundo maior bioma brasileiro, sendo superado em área apenas pela Amazônia, está entre as 25 hotspots mundiais devido à riqueza biológica, porém sofrendo umacrescente alta pressão antrópica devida à expansão de nossa fronteira agrícola. Apenas a terça parte do Cerrado permanece a salvo dessas alterações, os dois terços restantes são imensas áreas onde a paisagem foi depreciada em sua macro-diversidade, principalmente para implantação de pastagens, culturas anuais e outros tipos de uso. Essas alterações seguramente levaram a severas perdas, ainda não estimadas em termos da micodiversidade do Cerrado. A diversidade microbiana incluindo os microfungos não tem recebido a devida atenção por parte dos países neotropicais, apesar das nações desenvolvidas alertarem para o potencial biotecnológico dos mesmos. As leveduras são particularmente notáveis entre os fungos microscópicos pela sua diversidade morfológica e bioquímica. Muitos dados sobre leveduras de regiões temperadas estão disponíveis na literatura, havendo importantes linhagens usadas pela indústria e biotecnologia obtidas como resultado destes estudos. Contudo, apenas recentemente, estudos sobre leveduras em ambientes tropicais têm se tornado mais freqüentes, sendo este conhecimento extremamente escasso para a região do Cerrado.

Leveduras são membros predominantes da microbiota de qualquer ecossistema. Atualmente são conhecidas 1.500 espécies, que estão distribuídas entre os ascomicetos e basidiomicetos. A identificação das espécies é essencial para a compreensão das interações no ecossistema. A avaliação da diversidade das leveduras em um determinado habitat será mais real e completa quando se combina métodos de isolamento e cultivo com métodos independentes de cultivo, em que se avalia também os microrganismos não cultiváveis. A eletroforese em gel com gradiente desnaturante (DGGE) tem sido aplicada no estudo de ecologia microbiana, como forma alternativa para a análise da comunidade microbiana independente de cultivo. Ela permite o estudo simultâneo e mais rápido de um maior número de amostras e tem sido usada para diferenciar genes do rRNA diretamente purificado de comunidades microbianas complexas.

Entendendo a importância do bioma em estudo e a inexistência de pesquisas neste ambiente, pretende-se nesta proposta, fornecer maiores informações a respeito da estrutura populacional de leveduras associadas a folhas, flores e frutos do Cerrado. Além de contribuir com a formação de recursos humanos, inserção de novos docentes em projeto de pesquisa e o estabelecimento de um grupo de pesquisa no Distrito Federal.