Composição Florística
Os levantamentos realizados resultaram na contabilização de um total de 1829 espécies de plantas vasculares para a Reserva Ecológica do IBGE. Essas espécies estão listadas no Anexo I* (Lista das espécies vasculares registradas na Reserva Ecológica do IBGE, por grandes grupos taxonômicos e famílias e com as denominações de seus hábitos e de seus ambientes de ocorrência) em ordem alfabética por grandes grupos taxonômicos e por família, e com seus respectivos hábitos de crescimento e ambientes de ocorrência.

A Tabela sumariza os dados, indicando que esse total compreende 1503 espécies nativas e 326 exóticas distribuídas por um montante de 742 gêneros pertencentes a 156 famílias, das quais 15 são Criptógamas vasculares (Pteridófitas) e 141 são Fanerógamas, sendo 3 destas Gimnospermas e 138 Angiospermas.

Essa tabela indica também que as famílias de Pteridófitas compreendem 21 gêneros e 31 espécies (30 nativas e 1 exótica); que as de Gimnospermas constam de 3 gêneros e 3 espécies, todas exóticas; e que as Angiospermas estão representadas por 165 gêneros e 399 espécies (310 nativas e 89 exóticas) de Monocotiledôneas e 553 gêneros e 1396 espécies (1163 nativas e 233 exóticas) de Dicotiledôneas.

Através do Anexo** acima citado, pode-se constatar que as espécies consideradas nativas estão distribuídas em 138 famílias, das quais 83 contêm somente espécies com este status e 55 englobam também espécies consideradas exóticas. Estas últimas estão distribuídas em 73 famílias, sendo 18 compostas unicamente por espécies que não fazem parte da flórula primitiva da Reserva.

As famílias que apresentam maior número de espécies consideradas exóticas na Reserva são: Poaceae 59 espécies (18,1%), Fabaceae 42 (12,9%) e Asteraceae 33 (10,1%). As famílias que contêm somente espécies com status de exótica são na sua maioria estrangeiras e estão representadas por poucos elementos (exemplos: Cupressaceae, Pinaceae, Balsaminaceae e Caprifoliaceae).

O contingente de espécies exóticas está constituído por elementos ruderais (57,4%), plantados em antigos pomares (6,4%), introduzidos em arboretos (17,5%), cultivados em áreas ajardinadas (4,6%) e presentes em outros ambientes antrópicos (14,1%)**.


Totais de espécies de plantas vasculares registradas na Reserva Ecológica do IBGE segundo seus grandes grupos taxonômicos e seus status (nativa ou exótica) no ambiente