Compreende os espaços que tiveram a vegetação original substituída por outros tipos de cobertura vegetal e os que a tiveram removida para dar lugar a obras de infra-estrutura relacionadas com o atendimento das demandas da Reserva.

Esses ambientes ocupam, atualmente, uma superfície equivalente a cerca de 10% da Reserva. Os mais antigos estão encravados em florestas de galeria e compreendem um conjunto de quatro pomares instalados no tempo em que a área era propriedade de fazendeiros. Os mais recentes estão localizados em áreas de cerrado e de campo, datam da década de 1970 e consistem de edificações, arboretos, áreas ajardinadas, viveiros experimentais, estradas de circulação interna e aceiros permanentes contra incêndios. Além desses, existem ainda na área duas “áreas de empréstimo" de cascalho e terra e um lago ornamental, hoje abandonados.

O conjunto de elementos florísticos desses ambientes é constituído, predominantemente, por espécies introduzidas pelo homem com finalidades específicas e por espécies cosmopolitas especializadas em colonizar áreas antropizadas*.

* Texto produzido por Benedito Alísio da Silva Pereira et al. Reserva Ecológica do IBGE, Brasília (DF): Composição e Diversidade da Flórula Vascular (IBGE, 2004).